Foto Colunista

POR Bárbara Hellen

Toda restrição leva a compulsão

Colunas / 14.11.17

Para uma pessoa celíaca, um jantar fora de casa torna-se facilmente um programa desagradável, já que quem é celíaco não pode comer glúten (presente no trigo e até em temperos) de jeito nenhum. Como muitos restaurantes ainda não estão preparados, ou a pessoa come antes em casa ou tem que se preparar para explicar pacientemente para o garçom sobre restrição. Muitas vezes, mesmo com toda explicação, se o alimento tiver um tempero que passe despercebido, o fim de semana inteiro está arruinado.

Apesar de não ter nenhuma restrição alimentar, há alguns meses tive que restringir iodo para um exame. Ou seja, todas as refeições que eu comia eram feitas em casa e eu precisava ver o rótulo de tudo, pois praticamente tudo tem sal – que contém iodo. Era insuportável comer fora de casa. Comer era cansativo e desgastante.

Depois de ter passado por isso, fiquei pensando por que optamos tornar nossa vida muito mais difícil impondo a ela restrições muitas vezes desnecessárias?

Quando restringimos nosso cardápio, caminhamos com o peso da culpa a cada escolha “errada”. Tudo precisa ser contabilizado, precisa estar de acordo com padrões alimentares do momento, não importa a situação. Abrimos até mão do convívio social. Até mesmo naqueles dias que uma cervejinha com os amigos era o mais desejado.

Até quando? Em nome de que?

Autoestima é uma coisa muito importante e não está desassociada as práticas de uma vida saudável. Mas vale lembrar que muitas restrições e dietas radicais podem desencadear transtornos alimentares sérios. Transtornos que acabam com nossa autoestima e até com a nossa alegria em viver.

A proposta de hoje é simples: livre-se das amarras. Viver de restrições e punições (comi chocolate hoje, então vou passar 10 dias sem chocolate) não é saudável.

Quanto mais nos alimentamos bem, naturalmente alimentos ruins também serão descartados – e até nos dias que optarmos por nos deliciar com um hambúrguer, não terá problema, pois estaremos balanceados por uma rotina saudável. Permita-se descobrir novos sabores, sentar a mesa e escolher aquilo que você ama comer. Permita-se repetir o prato hoje, sem culpa e também sem exageros, pois aquele prato foi pensado e elaborado com ingredientes do bem.

Permita-se mudar e ter uma vida saudável, mas que seja de dentro pra fora.

———————————————

A coluna Not Fitness, Just Happy problematiza o mundo fitness, questionando padrões e dietas que muitas vezes não levam a uma vida realmente saudável e sim a novas formas de compulsão alimentar. Acreditando que ser saudável não é necessariamente ser magro e sim ser feliz, vamos ajudar que você melhore seus hábitos sem radicalismo.

Share on Facebook9Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

*

ARQUIVOS

BH NO INSTAGRAM

FOLLOW @BARBARAHELLEN

BH NO FACEBOOK